Pedro Siza Vieira, ministro da Economia, assinou um memorando de entendimento com a Amazon Web Services (AWS), um dos principais players do mercado de computação cloud. Alinhado com o Plano de Ação para a Transição Digital, apresentado no início de março, também este memorando pretende acelerar em eixos como a formação de recursos humanos, transformação digital das empresas e ainda dos serviços públicos.

"A computação em cloud é absolutamente essencial", destacou Siza Vieira, numa cerimónia que contou também com a presença do secretário de Estado para a Transição Digital, André de Aragão Azevedo, e dos responsáveis da Amazon Web Services Cameron Brooks, diretor do setor público da AWS, e de Miguel Álava, diretor executivo da AWS para Ibéria.

"Estamos satisfeitos de que esta parceria tenha reforçado o nosso compromisso com o país e possa acelerar a computação cloud em Portugal", afirmou Miguel Álava, numa intervenção feita à distância. O mesmo responsável sublinhou ainda que está "seguro de que em breve vamos ver resultados na economia portuguesa".

"Estamos empenhados em dar continuidade ao trabalho que temos vindo a desenvolver, capacitar qualquer pessoa ou indústria, dando conhecimentos de computação em nuvem, acelerando a inovação e a nossa economia", sublinhou João Tedim, partner management em Portugal da AWS.

Com a assinatura deste memorando a empresa compromete-se a reforçar os programas de formação em Portugal, nomeadamente no apoio a startups. João Tedim detalhou que a empresa "planeia apoiar mil startups portuguesas nos próximos dois anos". A tecnológica já disponibiliza este tipo de apoios através do programa Activate, que será acelerado. Este programa disponibiliza créditos profissionais para utilização em serviços cloud, suporte especializado e ainda formação.

No campo das competências, foi criada a iniciativa Mais Digital Powered by AWS, com o intuito de formar pessoas, o tecido empresarial e ainda acelerar a digitalização do Estado. "Algumas iniciativas" já disponíveis serão aceleradas, disse João Tedim, destacando ainda que "outras vão ser ainda implementadas em Portugal".

O emprego digital foi um ponto de foco ao longo de toda a cerimónia. O responsável da AWS destacou iniciativas como a AWS Educate e a AWS Academy, que estão a desenvolver esforços para a "criação de uma força de trabalho que esteja pronta para o futuro". Também a participação da AWS no programa UpSkill, que disponibiliza formação tecnológica em Institutos Politécnicos, será reforçada.

"Sabemos que os tempos que se avizinham são difíceis. O emprego digital é urgente", afirmou o responsável da AWS, destacando que estes programas serão "gratuitos e acessíveis a todos aqueles que tenham vontade de fazer parte de um Portugal mais digital". Com o memorando a tecnológica compromete-se a "dar um contributo para que as gerações futuras estejam mais preparadas para o mercado digital".

Governo já assinou memorandos com Google e Microsoft

Ao longo dos últimos meses o executivo de António Costa tem assinado memorandos de entendimento com mais tecnológicas. Em setembro, foi assinado um memorando com a Google Portugal, com o objetivo de capacitar mais 32 mil portugueses na área do digital através do Atelier Google. Foi ainda anunciado o objetivo de formar mais 3 mil programadores portugueses.

No mês passado foi assinado um memorando com a Microsoft Portugal, em que a tecnológica reforçou o compromisso de formar mais pessoas nas competências digitais. Com um objetivo ambicioso, o memorando estipulada a formação de 200 mil pessoas, sendo que metade serão funcionários da Administração Pública. A tecnológica assegurou ainda que irá ivestir até 1 milhão de euros na criação do programa "Highway to 5 Unicorns", apoiando cinco startups portuguesas.